TEXTO-AÇÃO

TEXTO-AÇÃO

Wilker França – cartelizante EBP; Associado do Instituto de Psicanálise da Bahia

Queria escrever um texto sem palavras,

feito de silêncios e sensações.

Aflições não enquadradas,

sentimentos perpetrados no corpo,

dor presa no peito,

riso de canto de boca,

fruto de um pensamento

jamais-comunicável.

 

Queria escrever um texto sem letras,

onde o observável só pudesse

ser sentido

jamais entendível.

E cada afeto não fosse emoldurado,

quadrado, raquítico.

Empobrecido.

 

Que cada palavra não passasse pelo

crivo do entendimento,

do pensamento

ou da razão.

Queria escrever um texto sem linhas,

sem precisar de uma ordem,

de um sentido,

de um concatenamento de ideias.

 

Queria escrever um texto-ação,

um texto vinho,

um texto chão.

Um texto canto de passarinho

no ninho,

mordiscador de canto de boca.

Um texto gelo,

calado, desatado.

 

Queria escrever um texto bêbado.

Tonto.

Alegrinho.

Um texto imensidão.

Devastação.

Que não houvesse o mínimo

interesse na comunicação.

 

Queria escrever um texto silêncio.

Só a experiência me interessa!

Comentários estão fechados.