Categoria de Arquivos

AS INFÂNCIAS TRANS E A PSICANÁLISE

Patricio Álvarez Bayón – EOL-AMP A psicanálise e o gênero Historicamente, a psicanálise tem apoiado e compartilhado seu caminho com o movimento LGBT e o feminismo. Freud foi o primeiro a fazer a distinção entre o sexo anatômico e o psíquico, e foi um inspirador fundamental daquilo que mais tarde seriam os estudos de gênero. […]

IDENTIDADE E SEXUAÇÃO NA ATUALIDADE

Paula Husni – EOL-AMP   Não há gozo último que nos alivie definitivamente da angústia. Esse é o impossível com que o discurso do gozo se vê confrontado. Éric Laurent A era das águias Gérard Wajcman afirma que a hipermodernidade é a instauração de uma civilização do olhar, na qual se reúnem a sociedade da […]

O Acontecimento Butler: uma questão de escritura

Solana González Basso – (Observatório Gênero, Biopolítica e Transexualidade – EOL)   Originalmente, a pista para entender a performatividade me  proporcionou a interpretação que Jacques Derrida de “Ante a Lei” de Kafka. Judith Butler A escritura não é a impressão, apesar de todo o blábláblá sobre o famoso Wunderblock. Jacques Lacan     Há toda […]

O trans não é um dizer

Eliana Amor – (Observatório Gênero, Biopolítica e Transexualidade – EOL) Ao ter um corpo temos um mundo, o mundo que acompanha; ao ter um corpo estamos aqui não em outra parte. (Miller, O lugar e o laço.) Proliferação de nominações Dizer homem ou mulher não basta para nomear o real do sexo, já que se […]

Intersexualidade, a anatomia é o destino?

Nestor Yellati – AME, EOL-AMP O transexualismo coloca uma situação limite no que se refere à posição sexuada do falasser: o sujeito assume seu sexo em oposição a sua realidade anatômica. Isso pode levar a modificá-la mediante diversos meios, desde hormonais até cirúrgicos, nos casos extremos. O intersexualismo é uma anatomia considerada patológica, o que, […]

Sexo e sexuação

Ronald Portillo – NEL-AMP   “Extrai-se a conclusão de que aquilo que constitui a masculinidade ou a feminilidade é um caráter desconhecido que a anatomia não pode apreender” Sigmund Freud. Freud e a castração Freud sempre teve presente que, em relação à sexualidade, encontrava-se algo situado mais além da aparência do biológico. Já desde o […]

TRANSMATERNIDADE GAY?

Marcela Almanza – NEL-AMP O tema das próximas Jornadas da NEL – Que mães hoje? Vicissitudes na experiência analítica – nos conduz a introduzir a questão do materno e do “ser mãe” a partir das perguntas que a prática analítica mesma nos vai colocando desde as análises que conduzimos, não sem deixar de contemplar que […]

O lugar do falo na sexuação

Angela C. Bernardes – EBP – AMP Uma das entradas possíveis no instigante tema do XXII Encontro Brasileiro do Campo Freudiano “A queda do falocentrismo: consequências para psicanálise” é, justamente, pela questão da sexuação tal como proposta no título deste número da Revista da Fapol: “Sexuação, identificações e gênero”. Oriunda da distinção entre gênero e […]